O tempo parece cada vez mais escasso e a necessidade de encontrar alternativas rápidas para o preparo das refeições é algo que afeta todos nós. De olho no consumidor, o comércio de alimentos cria incessantemente alternativas de alimentos prontos ou semi-prontos, sempre com a promessa de investimento em saúde e bem estar. E então entram em cena os alimentos congelados, pães e biscoitos de todos os tipos, a sedução do fast food e os indesejáveis refrigerantes, dispensando o trabalho de preparar sucos e a inevitável tarefa de limpar a cozinha.

Alimentos processados são rapidamente absorvidos e processados e, por isso mesmo, não permitem a saciedade que precisamos. Sua matéria prima básica são os cereais, mas as gorduras e o sódio também chegam em quantidade irresponsável, pondo em risco a saúde. Para comer menos e não sentir fome é preciso aumentar as proteínas do cardápio, especialmente as de origem vegetal. Assim, a inclusão dos vegetais que chamamos de leguminosas, como feijões de todos os tipos, ervilhas, lentilhas, soja, grão de bico e outras, não só enriquecem as refeições, como promovem a saciedade que desejamos.

Tradição brasileira, o arroz com um caldinho de feijão não atende nem de longe a nossa necessidade diária de proteínas, para garantir a saciedade durante toda a tarde. É preciso aumentar a quantidade de leguminosas na hora do almoço, especialmente quando se desenvolve alguma atividade física de força. Importante lembrar que a inclusão de sucos industrializados à base de soja não atendem nossa demanda, especialmente por saber que também são fontes de aditivos químicos indesejáveis.

Temos demandas nutricionais múltiplas e para atendê-las é preciso entender o que o nosso corpo precisa. Grãos de cereais fazem parte da dieta, mas, grãos integrais de leguminosas podem ser o suporte necessário para conter a fome e manter o peso que você deseja.

Com carinho,

Sheila Castro – Nutricionista

NAIS/VIVER BEM

sheila.castro@unimedsjc.coop.br

 

Publicações

Navegue nas páginas internas dessa sessão