Provavelmente, o açúcar foi o primeiro alimento que experimentamos depois do leite materno. Adicionado aos alimentos com proposta de oferecer sabor e alegria, muito precocemente ele chega ao cardápio e normalmente agrada o paladar da maioria dos mortais.

Carboidratos são absolutamente necessários e, sem dúvida alguma, precisam estar presentes no cardápio, mas é preciso lembrar que nem sempre estão associados a alimentos doces. Pães, massas, cereais, tubérculos e até mesmo grãos como feijão e grão de bico podem ser boas fontes deste nutriente tão importante, sugerindo-se que cubra pelo menos 50% das calorias que ingerimos em um dia. Porém, facilmente ultrapassamos esta marca, pela alta disponibilidade, facilidade de consumo e prazer que nos trazem os alimentos ricos em carboidratos.

Hereditariedade, hipertensão, histórico de diabetes gestacional, obesidade e até mesmo a síndrome de ovários policísticos podem predispor ao diabetes mas, em geral, é o estilo de vida que determina a instalação da doença. Em qualquer caso, a opção por uma dieta saudável, que ofereça legumes, verduras, frutas, carnes e laticínios magros, bem como grãos integrais e mínima ingestão de alimentos industrializados são o passaporte para o controle da glicemia, indispensável à prevenção ou controle do diabetes.

Frutas são a melhor opção de carboidratos que temos, pois seu conteúdo de água e fibras reduzem drasticamente sua velocidade e capacidade de absorção, contribuindo assim para a prevenção de uma doença comum mas perigosa como o diabetes. Mas, o controle do açúcar de adição, em cafés, chás, sucos e outros alimentos é imprescindível a uma alimentação verdadeiramente saudável.

 

Com carinho,

Sheila Castro – Nutricionista

NAIS/VIVER BEM

sheila.castro@unimedsjc.coop.br

 

Publicações

Navegue nas páginas internas dessa sessão